As bandas tirolesas

IMG_1744
Aproveitando a passagem das festas de outubro – incluindo a Tirolerfest, em Treze Tílias, no início do mês – o blog aproveita para falar de música.  Mais especificamente, da forte tradição bandística que caracteriza toda a região do Tirol Histórico, e que foi trazida para o Brasil pelos imigrantes. Neste texto, serão expostas as principais características da tradição bandística tirolesa na Europa.

Embora as bandas musicais – formadas por instrumentos de sopro (metais e madeiras) e percussão – estejam presentes em todas as culturas europeias, pode-se afirmar sem sombra de dúvida que a presença desses grupos musicais é particularmente forte nos territórios que formam o chamado Tirol Histórico, a saber: o Estado do Tirol, na Áustria, e as províncias de Trento  e Bolzano/Bozen, mais a região de Ampezzo (BL) e as cidades de Pedemonte (VI), Magasa e Valvestino (BS), todas na Itália.

Tirol Histórico

Tirol Histórico – Estado do Tirol, na Áustria; províncias de Trento e Bolzano/Bozen, região de Ampezzo (BL) e cidades de Pedemonte (VI), Magasa e Valvestino (BS), todas na Itália. Fonte: Europaregion Tirol-Südtirol-Trentino

A estreita ligação das bandas com a cultura tirolesa fica muito clara quando comparamos, na Itália, a presença dessas associações musicais na Região Trentino/Südtirol (províncias de Trento e Bolzano/Bozen, pertencentes à Áustria até 1918), com a vizinha Região Lombardia. Analisando os números das federações de bandas correspondentes, pode-se constatar que a Região Trentino/Südtirol, que conta com pouco mais de 1 milhão de habitantes, possui mais bandas musicais (338, no total) que toda a Região Lombardia (335 bandas), onde vivem mais de 10 milhões de pessoas! [2,3,4]

Os números levam a supor que exista um componente histórico-cultural que faça com que a tradição bandística seja muito mais sentida na Região Trentino/Südtirol que nas regiões italianas vizinhas. Nesse contexto, uma possível explicação surge quando analisamos a presença das bandas no vizinho Estado do Tirol, na Áustria, que conta com 303 bandas para uma população de aproximadamente 750 mil pessoas – uma proporção muito próxima daquela observada na Região Trentino/Südtirol. [5]

Banda de Rattenberg (Estado do Tirol - Áustria)

Banda de Rattenberg (Estado do Tirol – Áustria)

Partindo desses números, parece seguro afirmar que a ligação histórica das atuais províncias de Trento e Bolzano/Bozen com o antigo Condado do Tirol e com o Império Austríaco está na raiz dessa forte tradição bandística, que não existe nas regiões italianas vizinhas. Não por acaso, boa parte das bandas atualmente presentes na Região Trentino/Südtirol foi fundada antes de 1918, ano em que a região foi conquistada pela Itália. [2,3]

Introdução histórica

O surgimento das bandas musicais tirolesas, como em outros lugares da Europa, está intimamente ligado ao mundo militar. No início do século XVII, após as longas Guerras de Sucessão na Europa, os exércitos das terras pertencentes à família Habsburgo (que mais tarde viriam a formar o Império Austríaco) começaram a se organizar em regimentos. [1] Em 1720, os nobres que comandavam os regimentos começaram a formar os primeiros conjuntos oficiais de “música de campo” (al. Feldmusik), que normalmente consistiam de oito homens (escolhidos entre os soldados e oficiais) tocando trompete, trompa, oboé ou clarinete e fagote (como baixo). Esses conjuntos seguiam o modelo dos hautboisten, formações de música barroca que surgiram na França medieval. [1]

Conjunto de hautboisten [1]

Conjunto de hautboisten [1]

A música dos hautboisten, no entanto, logo começou a dividir espaço com um novo tipo de melodia: a chamada música turca. Os soldados que haviam participado das Guerras Turcas e do segundo cerco turco a Viena, em 1683, tinham tido contato com a música dos janízaros, soldados de elite do Império Otomano; tocadas com tambores, pratos e charamelas, as melodias tinham ritmos marcados e que estimulavam as tropas. [1] Devido a esse contato, começaram a se multiplicar, nas terras dos Habsburgo, conjuntos musicais dedicados à música turca.

Cerco a Viena por parte dos turcos otomanos (1683).

Cerco a Viena por parte dos turcos otomanos (1683). Fonte: Wikipédia

No caso específico do Tirol, um dos registros mais antigos de um conjunto dedicado a tocar música turca se encontra na cidade de Rovereto (atual Província de Trento). Em 4 de março 1764, um grupo de 17 músicos,  sob a batuta do maestro e compositor Giuseppe Ghezzer, registrou seu conjunto de música turca com um ato cartorial. A banda era composta por clarinetes, trompas, pratos, tambores, oboés e também alguns triângulos. [6]

Logo a música turca foi associada também aos regimentos militares. No caso do então Condado do Tirol, um antigo privilégio, estabelecido em 1511, garantia à população o direito de não ser convocada a lutar fora das fronteiras tirolesas; em retorno, era seu dever organizar companhias de atiradores (al. Schützen, it. sìzzeri/bersaglieri) que deveriam permanecer de prontidão caso as fronteiras tirolesas fossem atacadas. Assim, as formações de música turca, que são consideradas as precursoras das atuais bandas musicais tirolesas, foram associadas muitas vezes às companhias de atiradores. [1]

Desfile Festivo dos Atiradores Tiroleses, água-forte de Joseph Weger (1805) [7]

“Desfile Festivo dos Atiradores Tiroleses”, água-forte de Joseph Weger (1805). Pode-se notar, no fundo da figura, a banda de música turca de Brixen/Bressanone (província de Bolzano/Bozen) participando do desfile [7]

As mais antigas bandas tirolesas ainda em atividade datam do final do século XVIII: no Estado do Tirol, na Áustria, a banda da cidade de Hopfgarten remonta ao ano de 1794; na Província de Bolzano/Bozen (Itália) a banda de Kastelruth têm suas raízes no ano de 1796, e surgiu ligada à companhia de atiradores local. Já na Província de Trento (Itália), a banda mais antiga ainda em atividade é a banda da capital Trento, que surgiu em 1801 ligada à Guarda Cívica da cidade. [2,3,5]

Ao longo dos séculos XIX e XX, centenas de outras bandas, já no sentido moderno, surgiram em todas as partes do Tirol, muitas das quais continuam em atividade até hoje. [2,3,5]

Formação atual

As centenas de bandas que existem hoje no Tirol Histórico seguem um padrão mais ou menos comum. O repertório é bastante similar, com músicas tradicionais e modernas; se destacam as tradicionais marchas austríacas, que foram compostas às centenas nos tempos dourados do Império, entre o final do século XIX e início do século XX.

Boa parte das bandas utiliza como uniforme os antigos Trachten, i.e. os trajes típicos que cada vale utilizava até o início do século XIX. Um pormenor interessante é que as mulheres que tocam em algumas bandas utilizam o mesmo uniforme dos homens (ou seja, o traje típico masculino): a razão para isso é que até algumas décadas atrás, a atividade bandística era vista como essencialmente masculina, de forma que as raríssimas mulheres que chegavam a tocar numa banda acabavam utilizando o mesmo uniforme dos homens. [8] Hoje, no entanto, isso não é uma regra geral, e em muitas bandas as mulheres tocam utilizando os trajes típicos femininos.

Banda da cidade de Folgaria (província de Trento). As mulheres que tocam na banda usam o traje típico masculino. Fonte: Banda Folk di Folgaria

Banda da cidade de Folgaria (província de Trento). As mulheres que tocam na banda usam o traje típico masculino. Fonte: Banda Folk di Folgaria

Já as vivandiere (italiano) ou Marketenderinnen (alemão) utilizam sempre o traje típico feminino. Sua função é acompanhar a banda em desfiles e apresentações, carregando flores e/ou uma pequena barrica de aguardente, que é distribuído para autoridades presentes e o público em geral em troca de uma pequena ajuda para a manutenção da banda.

Vivandiere/Marketenderinnen da banda de Folgaria (província de Trento) com o traje típico feminino.

Vivandiere/Marketenderinnen da banda de Folgaria (província de Trento) com o traje típico feminino. Fonte: Banda Folk di Folgaria

As bandas musicais são parte fundamental da vida de um vilarejo tirolês, estando presentes em toda sorte de eventos importantes, como inaugurações, visitas de autoridades, procissões religiosas e festas municipais, além de desfiles das companhias de atiradores.

Durante um desfile, a banda é guiada pelo mazziere (italiano) ou Stabführer (alemão), que pode ser o maestro da banda ou um outro membro que detenha essa função. O mazziere/Stabführer comanda a banda em desfile, ladeado pelas vivandiere/Marketenderinnen e ficando de costas para os músicos. Os comandos para os músicos e a marcação do tempo são realizados com uma grande maça (it. mazza, al. Stab, de onde vem o nome) enfeitada.

folgaria3

Mazziere/Stabführer da banda de Folgaria (província de Trento), com a maça usada para guiar os músicos. Fonte: Banda Folk di Folgaria

No vídeo abaixo, que mostra um desfile com várias bandas da província de Bolzano/Bozen, podem-se observar todos os detalhes e características aqui mencionados.

Fontes bibliográficas

[1] EGG, Erich. Geschichte der Blasmusik in Tirol. in: EGG, Erich. PFAUNDLER, Wolfgang. Das große Buch der Tiroler Blasmusik. Wien, 1979.
[2] Federazione dei Corpi Bandistici del Trentino
[3] Verband Südtiroler Musikkapellen
[4] ANBIMA Lombardia
[5] Blasmusikverband Tirol
[6] TIELLA, Marco. La musica classica a Rovereto, dal salotto alla sala dei concerti: la storia della Filarmonica. Rovereto, 1992.
[7] HERRMANN-SCHNEIDER, Hildegard. Results of Current projects for Musicology at RISM Head Office Tyrol-South Tyrol & OFM Austria (Franciscan Province Austria). Nápoles, 2008.
[8] BONANI, Gilberto. Dopo 150 anni le donne in abiti feminili. Jornal Trentino. Trento, 2004.

Anúncios

6 comentários sobre “As bandas tirolesas

  1. Sem dúvida, é uma matéria histórico-cultural que esclarece as razões pelas quais os descendentes dos imigrantes daquelas região por aqui ainda cultivam alguns resquícios de trajes típicos, porém sem saber a origem.
    Particularmente a mim, que tenho raízes genéticas naquela região, tocou fundo esta matéria. É como ver os antepassados desfilando.

    Curtir

    • Prezado Sr. Jacinto Pedó:
      Ficamos muito felizes em saber que o Sr. tem acompanhado as postagens de nosso blog e que os textos ajudem a esclarecer dúvidas e curiosidades.
      Um abraço!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s