Fidelidade à Tradição…

Convite para a "Festa Ítalo-Gaúcha" da cidade de Luzerna - SC

Convite para a “Festa Ítalo-Gaúcha” na cidade de Luzerna – SC (imagem da Internet).

 

Circula pelas redes sociais o convite para uma festa “ítalo-gaúcha” a ser realizada na cidade catarinense de Luzerna e que chama a atenção não apenas pela proposta inovadora, mas, sobretudo, pelo significado cultural que transmite, pois a festa se propõe a fortalecer tradições.

Ora, poderíamos pensar que a festa não tivesse nenhum propósito em apresentar a “cultura trentina”, mas um texto que acompanha o convite nas redes sociais afirma o seguinte:

“O que nos moveu a realizar este evento foi o fato histórico de que milhares de imigrantes Trentinos desembarcaram em solo Riograndense (sic) desbravando terras, constituindo famílias, assumindo também a tradição Gaúcha em seus corações”.

Portanto, o intuito da festa é unir as culturas gaúcha e “trentina”. Analisando a simbologia do “cartão de visitas” da festa, percebemos algumas “confusões”.

No convite, consta a bandeira do estado brasileiro do Rio Grande do Sul, pois uma das culturas que se pretende promover é a gaúcha, típica do estado mais meridional do Brasil e que se expande, inclusive, para o centro-oeste de Santa Catarina, Paraná e demais estados onde a migração de gaúchos possibilitou a criação de CTGs (Centros de Tradições Gaúchas). No entanto, não consta nenhuma bandeira que faça menção à “cultura trentina”, haja vista que no convite não vemos a bandeira da província autônoma de Trento (em uso na província desde a década de 1980) ou a secular bandeira do Tirol (em uso na região desde o século XV).

O mesmo se dirá dos personagens figurantes no convite:

  • do lado direito, um indivíduo pilchado, ou seja, trajando uma  indumentária gaúcha tradicional, representando de modo impecável a riqueza dos trajes (ainda usados) do RS.
  • do lado esquerdo, uma moça vestindo uma fantasia inspirada em um traje “italiano” (?), parecendo dançar uma tarantela.

Não é preciso muita pesquisa para saber que os trajes típicos tiroleses na região de Trento seguem os padrões encontrados em todo o Tirol e regiões limítrofes da Áustria, assim como na Baviera alemã. Sobre os trajes do Tirol Italiano, ler aqui.

A fantasia “italiana” também não lembra nenhum traje de Beluno ou de demais províncias do Vêneto, nem da Lombardia, regiões de origem de boa parte dos descendentes de italianos no centro-oeste de Santa Catarina.

Também não é necessário grande esforço para se ter em conta que a tarantela não é uma dança típica dos Alpes, mas das regiões meridionais da Itália como Campânia, Púlia ou Basilicata onde os trajes típicos, aliás, em nada têm a ver com o do convite “trentino”.

Novamente, o Blog Tiroleses no Brasil constata mais um exemplo de visão estereotipada que muito pouco ou nada têm a ver com a cultura da região de Trento. Não se faz nenhuma crítica ao fato de se prestigiarem duas culturas em um mesmo evento, até porque não há dúvida que o grupo tradicionalista gaúcho seja coerente com a cultura que representa. Também não se critica a boa vontade dos organizadores. O que se discute são os reais motivos pelos quais não há preocupação com a tradição “trentina” que se pretende “fortalecer”.

 

“É frequente ver, por exemplo, ítalo-brasileiros (…) dançando nada menos que uma tarantella com chapéu de montanhês ou tirolês na cabeça e cantando canções como O sole mio, Torna a Surriento, Santa Lucia, etc., que são de origem napolitana. (…) Misturar as duas tradições é o equivalente a misturar cantos e danças da caatinga, as roupas dos cangaceiros do Nordeste brasileiro com os cantos, as roupas e danças dos gaúchos… (…) é preciso alertar que às vezes esse tipo de boa vontade pode produzir efeitos negativos e contrários e no lugar de difundir cultura, se corre o risco de fazer uma ‘anti-cultura’ ”.

(PASCOLI, 2002).

 

Fidelidade à tradição Tirolesa

Bastam alguns poucos quilômetros da cidade de Luzerna para encontrarmos a bela Treze Tílias, cidade conhecida como “o Tirol brasileiro” por conta de sua caracterização tipicamente alpina. Ali vivem muitos descendentes de tiroleses (principalmente de tiroleses de língua alemã, mas há também várias famílias do Tirol Italiano) que preservam  as tradições da terra de origem dos antepassados.

Vejamos alguns exemplos de trajes e música tradicional da região tirolesa.

1 – No Tirol do Norte (Tirol austríaco):

2 – Em Villnössertal/Dolomitas, na Província de Bolzano/Bozen (Tirol Meridional):

No Vale de Primiero, na Província de Trento (Tirol Italiano):

Em Treze Tílias, Santa Catarina:

 

Deixamos as conclusões ao leitor.


 

Referências bibliográficas.

PASCOLI, Tullio. PASCOLI, Tulio. L’Italiano che è in te. In: Rivista Insieme. nº 36 Dezembro de 2001. p. 22.

Anúncios

3 comentários sobre “Fidelidade à Tradição…

  1. Realmente o estereótipo (neste caso) começa a tomar corpo quando não há interesse na história real dos povos. Quando o “fazer” se torna mais importante do que o “como fazer”. Ótimo trabalho. Aprendo muito com vocês. É um grande auxílio para não cometer gafes desta natureza. Abraço amigos.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Everton, quero parabeniza-lo pelas divulgações que tem sido feitas sobre a cultura tirolesa. Como no Brasil temos descendentes de possivelmente todas as principais regiões italianas é muito pertinente divulgar a grande diferença cultural que existe, por exemplo entre a cultura tirolesa, dos Alpes e a napolitana e assim por diante.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s