Arquivo da categoria: História

O respeito às origens e a deturpação intencional da História

O Blog Tiroleses no Brasil publica uma contribuição a nós enviada por Gustavo Baretieri, descendente de imigrantes italianos e tiroleses estabelecidos no Rio Grande do Sul. Em seu interessante texto – que publicamos com satisfação – Gustavo traz sua experiência pessoal com as “descobertas” de quem aprendeu a valorizar, no conhecimento das próprias origens, o passado e a história de seus ancestrais imigrantes. Boa leitura!

Franz von Defregger. "A história de S. Nicolau".
Franz von Defregger. A história de S. Nicolau. Óleo sobre tela (século XIX).

Continuar lendo O respeito às origens e a deturpação intencional da História

Anúncios

A longa mão do Fascismo

Santa Paulina do Coração Agonizante de Jesus, nascida Amabile Lucia Visintainer em 16/12/1865, em Vigolo Vattaro - Tirol, Áustria.
Santa Paulina do Coração Agonizante de Jesus, nascida Amabile Lucia Visintainer.

Este ano comemoramos os 150 anos do nascimento de Amabile Lucia Visintainer, que veio ao mundo em Vigolo Vattaro, no Condado do Tirol, Império Austríaco, em 16/12/1865.

Amabile era filha de Napoleone Visintainer e Anna Pianezzer. Quando tinha somente 10 anos, os pais de Amabile resolveram, como milhares de outros tiroleses, emigrar para o Brasil. A família Visintainer se estabeleceu na localidade de Vigolo, em Nova Trento, onde habitavam também muitos outros imigrantes dessa mesma cidade.

Continuar lendo A longa mão do Fascismo

Dois soldados do Imperador

Lembrança do período de serviço militar no Exército Austríaco de um jovem de Mezzolombardo. Foto tirada no Museu degli Usi e Costumi della Gente Trentina, em San Michele all'Adige.
Lembrança do período de serviço militar no Exército Austríaco de um jovem de Mezzolombardo (TN). Foto tirada no Museu degli Usi e Costumi della Gente Trentina, em San Michele all’Adige (TN)

Uma história particularmente interessante – e triste – que foi descoberta durante as gravações do documentário Tiroleses na Floresta é a dos irmãos Silvio e Augusto Dadam, nascidos em Nova Trento, que pereceram  durante os combates na Primeira Guerra Mundial lutando no Imperial-régio Exército da Áustria-Hungria. Trata-se do único caso conhecido de neotrentinos que tenham combatido na Primeira Guerra. Continuar lendo Dois soldados do Imperador

Somos tiroleses – parte 3

Para ler a primeira parte da série, clique aqui.
Para ler a segunda parte da série, clique aqui.

 Passaporto 1

Seria a atual “identidade trentina” uma continuidade na identidade a partir do processo imigratório tirolês iniciado no final do século XIX ou uma releitura ad hoc (posterior e intencionada) baseada na atual conjuntura política da Província Autônoma de Trento, influenciada por entidades trentinas atuantes no Brasil desde a década de 1970? Quais são os aspectos que identificam os tiroleses no contexto da imigração de europeus? Até que ponto a descendência se limita à realidade política da Itália e Áustria atuais, misturando os conceitos de “pátria” e “estado” ou, ainda, de “língua” e “nação”?

O Blog Tiroleses no Brasil propõe uma reflexão sobre quando e como os “descendentes de tiroleses italianos” (descendentes de austríacos de língua italiana) se tornaram tão-somente “descendentes de trentinos” (descendentes de italianos não-austríacos).

Continuar lendo Somos tiroleses – parte 3

Somos tiroleses – parte 2

Para ler a primeira parte da série, clique aqui.

“Tirol Italiano, Círculo de Trento” – Aquarela de Joseph Weger (1827) [6]

Um dos motivos pelo qual muitos trentinos atualmente rejeitam o uso do adjetivo tirolês para se referirem a si próprios é o fato de que, em todo o mundo, costuma-se associar os usos e costumes tiroleses (p.ex. música, construções, trajes típicos, culinária, etc.) à língua alemã; de forma que a própria expressão tirolês italiano seria, para essas pessoas, uma contradição em termos. Essa visão é completamente equivocada, sobretudo porque as fronteiras linguísticas no Tirol mudaram diversas vezes ao longo dos séculos de História.

Continuar lendo Somos tiroleses – parte 2

Somos tiroleses – parte 1

carta-tirolo-storico

O Blog Tiroleses no Brasil propõe uma reflexão sobre o uso de adjetivos pátrios referentes à região do Tirol, levando-se em conta que certa “confusão” se faz presente principalmente entre os descendentes de imigrantes vindos da região de Trento.

O que significa exatamente tirolês e o que significa exatamente trentino? Seriam dois povos diversos? Nomes diferentes para um mesmo povo? Qual a relação que existe entre o uso de um e de outro adjetivo?

Continuar lendo Somos tiroleses – parte 1

Imigração Tirolesa no Brasil vira filme

Film Tirolesi nella foresta

Foi lançado o documentário Tiroleses na Floresta (Tiroler im Urwald, Tirolesi nella foresta), que teve sua pré-estreia no dia 25/Abril/2015 na cidade tirolesa de Bolzano/Bozen.

Dirigido pelo renomado ator e diretor tirolês Luis Walter (Bolzano), o enredo do filme contou com a participação do Prof. Dr. Norbert Hölzl, da Universidade de Innsbruck, Tirol austríaco (autor de estudos e livros sobre a imigração e cultura tirolesas) e do Prof. Dr. Everton Altmayer (formado pela Universidade de São Paulo com tese sobre o dialeto trentino). A organização das gravações feitas em Nova Trento ficou por conta de Misael Dalbosco. Continuar lendo Imigração Tirolesa no Brasil vira filme

Trajes típicos no Tirol Italiano

vallarsa
Traje típico dos cimbros de Vallarsa e Trambileno, um dos mais antigos de todo o Tirol (século XVIII). [1]

Nos últimos anos, têm crescido bastante a procura, entre os descendentes de tiroleses, de informações sobre os trajes tradicionais da região de origem dos seus ancestrais. No entanto, a maior parte das informações se encontra em italiano ou alemão. Neste post vamos detalhar os principais aspectos dos trajes típicos do Tirol Italiano (atual Província de Trento); esperamos que seja uma boa fonte de informação aos descendentes que desejam formar grupos de dança ou meramente cultuar as tradições dos antepassados. Continuar lendo Trajes típicos no Tirol Italiano

Os 140 anos da imigração que não foi.

Selo 140 anos Imigraçao Italiana

1875. Ano de chegada de muitos de imigrantes ao Brasil. Ano que marcou o aumento da imigração italiana com a chegada de milhares de imigrantes saídos, sobretudo, das regiões do Norte da Itália: do Vêneto, da Lombardia, da Emília Romanha e do Piemonte. Muitos vinham do Sul da bota: da Campanha (Nápoles) e da Calábria, mas tantos outros eram oriundos de outras regiões. Belas iniciativas começam a ganhar espaço no Brasil, homenageando os imigrantes italianos que tanto contribuíram para a nova pátria.

Mas 1875 também foi o ano daquela que podemos chamar “grande imigração austríaca”. No mesmo ano, o Brasil passou a receber milhares de imigrantes austríacos vindos do Tirol, da Gorízia, do Friúl, da Boêmia. Alguns austríacos pioneiros já estavam por aqui anos antes, assim como imigrantes italianos e alemães.

Os quase 80.000 imigrantes austríacos que entraram no Brasil também contribuíram para a nova pátria, mas estão um tanto quanto “esquecidos” pelos descendentes. Com base nisso, propomos um “diálogo” sobre a imigração que não foi imigração italiana, haja vista que os imigrantes da região italiana do Tirol eram imigrantes austríacos de língua italiana e desde 1970 são chamados no Brasil “trentinos” por causa da influência cultural e política de Ongs e representações italianas sediadas em Trento, Itália.
Continuar lendo Os 140 anos da imigração que não foi.